segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Coração de Criança (Anne Lieri)


Apresento-lhes uma blogueira  amiga, a querida Anne Lieri, que através de seus trabalhos voltados para a área infantil, suas doces poesias e interações, nos levam a reavivar o belo mundo do faz de conta, o mundo encantado da alma e do coração da Criança como ela declara nos versos abaixo:

(clica na bolinha laranja e ouça)


Coração de criança
Não guarda mal,nem rancor!
Vive num passo de dança,
Espantando toda dor!


O coração infantil
É leve como algodão,
Fantasias? Mais de mil!
Asas da imaginação!


Nesse lindo coraçãozinho
Pode haver uma tristeza!
Como preso é o passarinho,
Na gaiola,sem defesa!


Mas se cercar de carinho,
A inocente criança,
Um sorriso ligeirinho
Renasce com esperança!


Coração de uma criança
Precisa de amor e abrigo!
Da infância ter lembranças

Só do que for divertido!













domingo, 29 de setembro de 2013

Vinicius de Moraes no outono do Japão

Autumn Bridge, Okutama, Japan-Pinterest

No distante e milenar Japão mora um amigo brasileiro, sensível, amado por muitos na blogosfera e no facebook, sempre com palavras de carinho e reforço às amizades duradouras. Alexandre Mauj também ama poesia e não esquece nossos melhores poetas, declama abaixo um dos mais lindos sonetos do nosso eterno poetinha Vinicius de Moraes. Ouçam que voz linda e terna tem o Alexandre.



Obrigada por sua participação aqui neste cantinho da poesia querido Alexandre, e pra você especialmente, grande ponte de amizade neste mundo virtual, deixo palavras da poeta Roseana Murray:

Com fina linha prateada
o sonhador borda a sua vida:
na fronteira entre o dia e a noite,
entre uma estrela e outra,
uma palavra e sua sombra,
ergue um castelo de vento,
desfralda as bandeiras da paz.





sábado, 15 de junho de 2013

Guardar - Poesia de Antonio Cícero

(Clique na seta vermelha e ouça a poesia abaixo)

Guardar
 Antonio Cicero


Guardar uma coisa não é escondê-la ou trancá-la.
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.


Guardar uma coisa é olhá-la, fitá-la, mirá-la por
admirá-la, isto é, iluminá-la ou ser por ela iluminado.

Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer vigília por
ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
isto é, estar por ela ou ser por ela.

Por isso melhor se guarda o vôo de um pássaro
Do que um pássaro sem vôos.

Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica,
por isso se declara e declama um poema:
Para guardá-lo . . .







quarta-feira, 11 de julho de 2012

Como nascem as certezas?


Retornando a este espaço que ficou um tempo parado, mas não esquecido, apenas pausado até que voltasse a inspiração e a certeza cada vez maior de que a poesia é necessária e continua, renascendo a cada dia na expressão de alguém que quer transmitir ao mundo a beleza em forma de palavras.

Eis aqui uma poeta que cresce e nos brinda com seus versos tão bem colocadas e acessíveis, uma professora comprometida com a educação e cultura para nossos jovens, uma mãe e avó sempre presente e amável, uma blogueira competente e que conquistou amigos em pouco tempo na rede.  Apresento-lhes minha amiga querida, Calu do Blog Fractais de Calu, deliciem-se com seus doces versos.

(Clique abaixo e ouça)
 




-Música Set Fire to the Rain-Instrumental Adele
-Imagens Pinterest


sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Haicais de Ano Novo - Luiza Maciel



Para inaugurar este novo ano temos uma poetisa brilhante em nosso espaço. Ela é  Luiza Maciel do Blog Versos de Luz.
Vejam que lindos versos em forma de Haicai para o Ano Novo.
Aumentem o som, acompanhem a narração e não deixem de visitar esta talentosa poetisa.
 




Nasce o 
ovo novo
sai da casca
ano novo!

novo ano
embriaga o céu 
de novos pássaros

brota o ano
rega e nutre os dias
terra, chuva, sol e ventania
















Imagem: Corbis-James Endicott
Música:  Enya-El Bosque de las hadas









sábado, 8 de outubro de 2011

Cafeína


"Vida sem poesia é fingimento", assim define Domingos Barroso em seu blog Lacaio da Poesia. E eu poderia completar que o poeta é um louco apaixonado que transforma tudo o que vê e sente, em encantamento, ainda que seja pranto ou tristeza.
Acompanhem comigo a narração abaixo:

 

A verdade é que eu sou um pescador
encantado e perdido em alto mar.

Os versos que escrevo
às vezes sonho dentro de uma ostra
outras vezes deliro nas costas de um golfinho.

São versos sinceros como ontem
quase morri de dor de cabeça

e só havia as estrelas
únicas testemunhas
do meu transe.

Não é bom ter somente estrelas
por perto quando a cabeça explode.

Dá vontade da gente querer ser também estrela.
Deixar o mar e não se despedir da mãe nem do filho.

O que diria meu filho sem pai nesse mundão de mar
e como choraria minha mãe sozinha no seu quarto.





Imagem-Corbis
Música-Manolo Garcia-Ia atunara





domingo, 2 de outubro de 2011

Nostalgia

É difícil descrever um poeta, mas é fácil gostar de sua poesia e foi assim que aconteceu quando li pela primeira vez o amigo Ribeiro Pedreira em seu blog Alguma Poesia.
Vejam que delícia de poesia e encantamento em tão poucas palavras.

tentei revisitar
os meus dias de pequeno

mas a infância é um templo
inviolável

e se não fosse
jamais caberia
a largura dos meus passos











Imagem-blog do poeta