domingo, 2 de outubro de 2011

Nostalgia

É difícil descrever um poeta, mas é fácil gostar de sua poesia e foi assim que aconteceu quando li pela primeira vez o amigo Ribeiro Pedreira em seu blog Alguma Poesia.
Vejam que delícia de poesia e encantamento em tão poucas palavras.

tentei revisitar
os meus dias de pequeno

mas a infância é um templo
inviolável

e se não fosse
jamais caberia
a largura dos meus passos











Imagem-blog do poeta









7 comentários:

  1. Realmente linda a poesia! Valeu ler! Bela escolha!beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimo! Pura sensibilidade! Beijos e parabéns ao poeta,

    ResponderExcluir
  3. Beleza de arte em dizer muito numa bela sintese.
    Voce tem sensibilidade apurada e nos ofertar sempre uma nova emoção.
    Muito boa sua leitura.
    Parabens ao poeta Ribeiro,vou lá ver.
    Outro abraço mineiro de flor com carinho.
    Bju.

    ResponderExcluir
  4. Betinha,
    me lembrou um haicai. Muito enxuto e ao mesmo tempo expressivo em cada verso.
    Parabéns ao autor e à vc, que sempre nos apresenta tantas belezas na fala e na escrita.
    Uma linda semana,
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  5. Lindo!!!! Obrigada, Beth! Parabéns Ribeiro Pedreira.

    Girassóis na vida dos dois.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Pura expressão de uma simples realidade. Mas o autor está ausente do seu espaço e não tive acesso, acho que tem restrição de visitas.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. olá, Beth.
    tentei algumas vezes postar um comentário aqui, mas parece que havia algum bloqueio, portanto não tive sucesso. quero lhe agradecer pelo empréstimo da tua voz a um dos poemas que mais gosto da minha lavra. fiquei feliz pela escolha e pela execução. tenho andado afastado do mundo virtual por motivos pessoais, apenas o e-mail (dadopedreira@yahoo.com.br). entretanto, o meu blog ainda se encontra aberto e sem restrições (apenas nos comentários), basta ir clicando em postagens mais antigas para que possa visualizar as outras. em retribuição ao teu carinho, desejo-te poesia! um abraço fraterno.
    obrigado a todos pelos comentários.
    Ribeiro Pedreira

    ResponderExcluir